mogli e o lobo

A verdadeira Lei da Selva

Eu desligo a televisão, não ouço o rádio e já não abro as páginas do jornal, pois tudo que estará lá escrito me trará mágoa, dor e tristeza. Infelizmente, essa é a realidade do pensamento de muitos brasileiros, mas talvez não estejamos buscando o equilíbrio do pensamento e das nossas emoções.

 Na imprensa

“Macacos são torturados em experimentos cruéis”; “Menina de 15 anos abusada pelo próprio pai”; “Médico é preso por suspeita de pedofilia”.

É comum que tais manchetes nos causem repulsa, ódio, medo, incompreensão, revolta, nojo. Mas talvez esteja na hora de pensar estas manchetes sobre um outro prisma e buscar o que elas podem nos trazer de positivo.

A voz que não está mais presaSEM_MEDO_DE_FALAR_1394048354P[1]

Marcelo Ribeiro, autor do livro “Sem medo de falar – relato de uma vítima de pedofilia”, publicado pela Companhia das Letras, e citado no premiado filme internacional “Spotlight”, conseguiu se libertar de uma relação de abuso e violência sexual vivida durante sua infância e assumiu a responsabilidade de ser um porta-voz destas vítimas.

“Um ponto fundamental sobre o abuso é que pouco importa se o agente é homem ou mulher. A dinâmica é outra, pois estamos falando de alguém mais forte controlando alguém mais fraco e indefeso”, explica Marcelo.

Ou seja, o mais importante é dar voz a quem foi oprimido. A partir do momento que o “mais forte” se vê também contra a parede, ele perde parte do seu poder, se torna um semelhante.

A lei da selva

O homem sobrepujar fisicamente a mulher, um adulto usar de força com uma criança e até mesmo o animal que resta indefeso ao poder humano. Alguns chamam essas atitudes de “lei da selva”. O mais forte exercendo poder sobre o mais fraco.

No entanto, no filme “Mogli, o Menino Lobo” – uma adaptação da obra de Rudyard Kipling, de 1894 -, os lobos declamam todos os dias a “lei da selva”, afirmando que “a força da alcateia é o lobo e a força do lobo é a alcateia”.

Isso quer dizer que todos os seres são como um só, pois cada um tem seu papel dentro da natureza. Os mais fortes precisam respeitar os mais fracos para trazer prosperidade ao conjunto. Essa é a verdadeira lei da selva e é a que deve ser respeitada por todos.

THE JUNGLE BOOK - Pictured: MOWGLI. ©2016 Disney Enterprises, Inc. All Rights Reserved.

THE JUNGLE BOOK – Pictured: MOWGLI. ©2016 Disney Enterprises, Inc. All Rights Reserved.

Falar sobre o assunto

Nós, enquanto sociedade, precisamos criar um ambiente propício para que as vítimas se sintam confortáveis para falar sem medo. Mais do que isso, um ambiente em que o réu não se sinta impune para cometer tal ato. A avalanche de casos semelhantes que aparecem todos os dias são a confirmação de estamos caminhando na direção correta.

De acordo com a sexóloga Lelah Monteiro, “é muito comum a pessoa buscar atendimento por um tema diferente e descobrir ou relembrar que foi molestada por alguém próximo. Na prática, a vítima que sofreu um abuso pode seguir sem assumir consciência sobre a violência.”

Rompendo o ciclo do abuso

É provável que muita gente já tenha sofrido algum tipo de abuso ou violência, mas a falta de consciência aliada ao silêncio das vítimas mantém o ciclo. A vítima se culpa por ter sido abusada e, por vezes, acaba sendo culpada porque a sociedade não estava preparada para tratar sobre o assunto.

Por isso cada vez que você se deparar com uma manchete como as citadas no início do texto, não reclame. Ao contrário, agradeça.  Esse é o sinal de que nossa sociedade está buscando o equilíbrio. Dando estrutura e meios para que os “mais fracos” tenham voz e assim se tornem mais fortes. O exemplo ainda é um dos maiores aliados, quando a sociedade se silencia, a tendência é que os outros também fiquem em silêncio.

É preciso dar as pessoas coragem para falar e principalmente estarmos preparados para ouvir e buscar reparação. Sermos mais fortes como um grupo, como sociedade, assim como manda a verdadeira Lei da Selva.

(Texto publicado na edição de setembro/2016 da Zen Family Portugal: http://www.zenfamily.pt/revista-zen-Family/)

lobos