dança

Vem dançar!

Não, nós não estamos falando do filme maravilhoso do Antônio Bandeiras. Mas ele bem serve para nos ajudar com o tema de hoje. No filme, o professor de dança consegue recuperar alunos problemáticos de um colégio públicos através da dança. E apesar de se tratar de um filme, a vida real pode sim imitar a arte. A dança pode ser sua aliada também.

“Se você é capaz de se levantar, caminhar, dar ‘até logo’ e cruzar as pernas, já tem ritmo. Basta não ter medo de errar”, Carlinhos de Jesus.

Partindo desse princípio – já que quem disse foi um dos maiores dançarinos e coreógrafos do Brasil – sabemos que todos podem dançar. Uns vão encontrar mais dificuldades que outros, mas isso é normal. O mesmo ocorre quando aprendemos as matérias na escola ou qualquer outra atividade.

beneficios dança

Bom, mas por que dançar? A dança é muito mais do que uma atividade física, ela funciona praticamente como uma terapia. Na dança você tem contato com outras pessoas, o que ajuda a socializar e, com isso, diminui o estresse.

Outro benefício é o aumento da concentração, melhora a flexibilidade, coordenação motora e os reflexos. Porque apesar de ser uma atividade divertida, ela exige concentração para facilitar o aprendizado. E como o corpo fica em constante movimento, auxilia até no equilíbrio.

A dança também aumenta a frequência cardíaca, estimula a circulação do sangue, melhora a capacidade respiratória e queima muitas calorias. Ela tonifica os músculos, principalmente das pernas, glúteos e barriga.

Mas os resultados vão muito além do bem-estar físico. Socialização, combate à depressão e à timidez, alegria, auto-estima elevada. Nenhuma pessoa dança quando está triste. Dança sempre foi sinônimo de alegria, pessoas felizes se sentem mais dispostas e bem com elas mesmas. Sem falar que as aulas fazem da interação entre as pessoas uma atividade normal, ou seja, diminui a timidez. Com tantos pontos positivos, o que você está esperando para começar a mexer o esqueleto?