cats

Em busca de um coach…

Imagina só ter um profissional para ouvir seus sonhos e metas e te ajudar a concretizar tudinho? Isso existe e se chama “coaching”.  O processo de coaching ajuda a ver o que não estávamos vendo, olhar outros pontos de vista e outras possibilidades, nos encoraja a seguir nossos sonhos e a por em prática os primeiros passos para isso. Portanto, leia com atenção a entrevista que fizemos com Ana Couto, esta coach profissional da Serra da Cantareira. (Fotos de Lucila Alexandre)IMG_5090-vertp

1. Como este processo pode mudar a vida de alguém?

R.: O ser humano é um ser de hábitos. Uma vez que aprendemos a olhar de um jeito, a fazer as coisas de uma certa forma, nosso cérebro, por razões econômicas (fazer com o menor esforço) tenderá a repetir o que já sabe fazer, ou seja, a percorrer as trilhas neurais já habituais. E isso é bom quando queremos deixar tudo do jeito que está. Mas quando queremos fazer alguma mudança, fazer algo novo, não encontramos as trilhas neurais prontas. Isso significa um desafio para nós e nosso cérebro que tem que aprender a fazer diferente. O processo de coaching existe para  ajudar a construir um novo caminho e alcançar seus objetivos.

2. É um tipo de terapia? 

 R.: Não, pois a terapia tem por finalidade  tratar os problemas psicológicos, tais como depressão, ansiedade, dificuldades de relacionamento, entre outros. Em geral trabalham nas causas e tendem a ser processos mais longos. O coaching existe para ajudar o indivíduo a encontrar soluções para questões específicas da sua vida. Tem por objetivo lhe ajudar a se mover de onde está para onde quer ir. Você pode fazer coaching para lhe ajudar com: uma questão do seu trabalho – por exemplo, lidar com seu chefe; para fazer uma transição de carreira – dentro ou fora da empresa que trabalha; para começar um novo negócio – e quer a ajuda de um profissional para pensar questões chave sobre o mesmo; para desenvolver uma atitude importante para o sucesso em seus objetivos; ou até mesmo para trabalhar uma questão específica de sua vida pessoal (propósito de vida; como usar melhor meu tempo e talentos, mudança de cidade, estado civil  etc.)

IMG_5062

3. Quanto tempo leva para concluir este processo?

R.: Um processo de coaching leva de 10 a 12 sessões (encontros com um coach profissional). Cada encontro leva em torno de uma hora. As sessões podem ser semanais ou quinzenais de acordo com cada caso. Eventualmente, por exemplo, no caso de uma viagem longa onde não se deseja interromper o processo, as sessões podem ser via telefone ou Skype.

4. Como funciona exatamente?

R.: Coaching é um espaço para se sentir seguro e ser, exatamente, quem somos. É preciso primeiro se aceitar para depois mudar. Temos que começar reconhecendo onde estamos, para então definir onde queremos chegar. Normalmente,  o cliente liga e marca uma sessão para conhecer o coach. É fundamental que haja conexão entre o coach e o cliente. Nesta sessão inicial o cliente apresenta o que gostaria de trabalhar e se define os acordos do processo, tais como: horário, frequência das sessões, o papel de cada um,  valores e os indicadores de sucesso do processo. Às vezes, este primeiro contato é apenas para que ambos se conheçam e possam definir se seguem ou não com o processo. Neste caso, em geral, não há custo.

IMG_5070

5. É acessível? 

R.: Os valores regulam com o de uma consulta médica, depende do nível do profissional. Os valores podem ir de R$ 400,00 a R$ 1.200,00, podendo se negociar. Normalmente há flexibilidade nos horários, de acordo com a conveniência de ambos, e não é necessário um horário fixo por semana.

6. Qual o melhor ambiente para realizar?

R.: O lugar precisa ser seguro e livre de distrações, de modo que a pessoa se sinta a vontade para refletir e falar. Resolvi atender aqui mesmo na Serra da Cantareira devido ao grande números de pessoas que, como eu,  escolheram este lugar maravilhoso para viver. É como fazer coaching no paraíso, um privilégio para poucos. Outra razão é que algumas pessoas preferem fazer seus encontros com seu coach no início do dia ou no final dele, antes ou depois do trabalho. Para quem mora aqui, isto é uma facilidade.

7. Como escolher o profissional?

R.: Além de uma boa conexão com o coach, você precisa ter boas referências desse profissional. A experiência do coach também é importante, mas procure saber sobre sua formação. Existem muitos “programas de formação” rápidos no mercado e muita gente se dizendo coach. Procure saber onde o profissional fez sua formação, há quanto tempo atua, e principalmente se é certificado por algum órgão certificador internacional como a ICF ou ICC. Isso garantirá que você esteja trabalhando com um profissional qualificado e não apenas “formado”.

8. Deixe uma mensagem para nossos leitores?

R.: A vida é dinâmica e requer muito trabalho. Cada um tem o seu equilíbrio e o seu ritmo. É preciso investir muita energia nessa busca!

IMG_5079

Ana Lucia Costa Couto – (cel. 97545 6621) Certificada em Coaching pelo  Instituto Ecosocial, membro ICF- ACC; possui International Coaching Certification, pela Lambent do Brasil, Com Joseph O’Connor, membro da ICC; International Coaching Certification na Inner Game School of Coaching – Tim Gallwey -USA. Formação em Coaching Sistêmico pelo IDPH com Bernd Isert. Especialização em Coaching Generativo com Robert Dilts. Especialização em Neuro-Coaching pelo  NeuroLeadership Institute.