IMG_3533-horzppi

Faxina fitness com pessoas reais!

Em um país onde  o trabalho doméstico é a fonte de renda de milhões de pessoas, ignorar essa atividade é, no mínimo, contraditório. Como você se relaciona com a faxina? Nossa equipe lançou esta pergunta para pessoas de todo o Brasil e o resultado foi tão preocupante que decidimos lançar o movimento do #faxinafitness. Isso mesmo! Um movimento que busca empoderar as pessoas que fazem sua própria faxina e, especialmente, aquelas que vivem de fazer faxina nas casas alheias. Só para você entender bem o tamanho do problema, leia os depoimentos que recebemos:

Odeio fazer faxina. Acho que é uma atividade inútil e improdutiva. A gente passa o dia limpando e não produz nada no final ou pior: tudo que foi produzido acaba num piscar de olhos. Já trabalhei isso em terapia, mas simplesmente não consigo.” (Carolina Rebe, 32 anos, advogada, RN)

“Não gosto de fazer faxina, mas adoro a sensação da casa limpa. Por isso eu faço apenas pensando no resultado, tento ignorar o percurso.” (Bruna Almeida, 30 anos, dentista, MG)

“Desde que morei na Alemanha e trabalhei como camareiro num hotel, percebi que fazer faxina pode ser prazeroso sim! É uma atividade honrada e muito útil. Eu já aprendi a dominar isso em mim. A grande questão é não deixar sujar.” (Marcelo Rosso, 50 anos, engenheiro, RS)

“Faxinar cansa o corpo, os braços. No fim do dia, parece que um trator passou por cima da gente. Fico deprimida, penso que podia estar empregando meu tempo em algo mais valioso para a sociedade” (Viviane Lidia, 40 anos, manicure, BA)

“Eu gosto de limpar, mas cansa muito. Sinto muita dor nas minhas costas e ganho muito pouco pelo tempo que gasto. Mas é o que eu posso fazer hoje.” (Eliane Freitas, 38 anos, faxineira- SP)

catsp

Temos muito o que aprender e refletir com base nos depoimentos acima. É bem provável que você tenha se identificado com algum deles. A verdade é que entrevistamos muitas pessoas e o denominador comum das conversas é sempre no sentido de menosprezar a faxina, seu resultado e sua importância para a sociedade. Infelizmente, um país como o Brasil não pode se dar o luxo de menosprezar esta tarefa. Acompanhe nosso raciocínio:

  • Se milhões de pessoas trabalham como empregados domésticos no Brasil;
  • Se quase todos os brasileiros odeiam ou desvalorizam o trabalho doméstico;
  • Logo, temos milhões de pessoas desvalorizadas, sentindo vergonha de seu ganha pão.

É, simplesmente, um aniquilador da estima nacional. Portanto, gostaríamos de convidar você a participar do nosso movimento que consistirá em 4 passos simples, que se desmembrarão em vários posts. Quer conhecer e participar?Só se for agora!

  1. Cronograma da limpeza: você sabia que se preparar um cronograma de limpeza, poderá trabalhar diferentes grupos musculares e não sentir dor no final da faxina?
  2. Escolha os produtos certos: que produto você usa para limpar sua casa? Conhecer e saber usar os melhores produtos do mercado pode tornar sua faxina mais prática e eficiente.
  3. Roupa da faxina: pode parecer besteira, mas existe sim um traje adequado para fazer faxina. Quando você se apresenta para limpar vestido da pior forma possível, com toda certeza isso vai te desmotivar. Vamos repensar seu look de faxina?
  4. Significado oculto de cada tipo de limpeza: várias culturas antigas associavam o ato de limpar a casa com organizar a própria vida. Nesse sentido, cada atividade do lar teria uma finalidade terapêutica. Você já pensou o que você mais odeia fazer? O que será que isso representa?

Você quer participar desse movimento? Deixe seu comentário, mande suas sugestões. Força total no #faxinafitness